O Teatro D'Aldeia


Nossa História

O Teatro d´Aldeia é formado a partir do encontro das atrizes Adriana Barja e Ana Cristina Freitas e dos atores Vander Palma e Wallace Puosso.

Um dia Ouvi a Lua Foto: Um Dia Ouvi a Lua

Nossa história começa ha 10 anos atrás em uma montagem de Nelson Rodrigues da Cia Teatro da Cidade, grupo no qual participamos durante muitos anos e que também somos gratos por toda história criada coletivamente.

Depois de Nelson Rodrigues, partimos para os estudos do universo caipira que – através do olhar sensível do dramaturgo Luis Alberto de Abreu – nos colocou diante da imagem da “lua”, e assim iniciamos mais um processo teatral, agora com o espetáculo “Um dia ouvi a lua”, direção do querido Eduardo Moreira do Grupo Galpão – BH.

Este espetáculo foi extremamente marcante para nós, pois com ele viajamos por várias cidades do Brasil e da Europa e colhemos muitas histórias e experiências. Uma das mais marcantes aconteceu numa viagem a Presidente Prudente, na qual após apresentação do espetáculo, vimos um grupo de teatro de pessoas com mais de 60 anos que nos encantou de tal forma, que nos olhamos, demos as mãos e fizemos um pacto de envelhecer juntos nos palcos da vida.

Naquele momento, sob a luz da lua, sentimos o quanto é grande e intensa nossa relação de amizade e companheirismo, e o quanto desejamos estar juntos dentro e fora dos palcos.

Um dia Ouvi a Lua Foto: Um Dia Ouvi a Lua

Durante toda nossa trajetória, desenvolvemos uma maneira muito peculiar de ministrar cursos e oficinas, percebemos o quanto nossas afinidades e individualidades se completam e podem colaborar para formação de atores. Percebemos também nossa identificação e cumplicidade como artistas e isso nos estimula a criar novos espetáculos e levar a cabo nosso objetivo comum: encantar plateias.

O nome “Teatro d´Aldeia” projeta nossos desejos de trazer de volta os rituais e de manter uma atitude simbólica diante da vida. Tendo a lua sob o signo de nossa sensibilidade e do desejo de criar, sensibilizar e encantar o homem com a nossa arte.